domingo, 20 de setembro de 2009

Que frio!

Esse frio que acaba com nossa pele, me lembra de um período de guerras romanas, aonde seus soldados usavam óleos de oliva no corpo para se protegerem do frio, tornando assim uma tática para fugir do frio e agüentar mais as baixas temperaturas em ataques noturnos.
Usamos esses segredos ate hoje em dia, com óleos para passar em recém nascidos para evitar ressecamento da pele.
Óleos para passar na barriga das grávidas para evitar estrias e flacidez.
Óleos para perfumar o corpo e a casa.
Tantas utilidades, além de como condimento, que penso se às vezes não olhamos somente o que nos interessa ou o que nos convêm.
O azeite tem muitas utilidades e nutrientes que não nos damos conta por apenas achar que é um simples tempero.
Era muito usado como combustível de lâmpadas, lâmpadas essas que iluminavam livros e casas. Iluminavam castelos e alimentavam os povos.
Por isso é chamado de ‘ouro liquido’.
Tantas utilidades que nem nos damos conta de sua historia e praticidade.
E tudo, originado de um fruto que nasce de uma árvore muito resistente ao frio.
Laura Reinas

domingo, 13 de setembro de 2009

um caso de amor

Perdemos um aroma de um azeite por armazená-lo em local inapropriado ou, por esquentar, deixar passar da temperatura ideal. É a mesma coisa que perder um grande amor?
De certa forma, essa comparação é valida, considerando que grandes amores perdidos, são difíceis de serem reconquistados, da mesma forma que um azeite de uma safra especifica, é difícil de ser obtido novamente.
Casos de amor me lembram histórias rurais.
Uma senhora certa vez, me disse que seus pais haviam se conhecido em uma plantação de oliveiras, e que certamente ela tinha sido concebida sob uma.
Achei essa história engraçada e perguntei o que atraia tantas pessoas para a sombra daquela árvore.
Sua atração não vinha somente pela sombra ampla, mas também por ser uma árvore que traz madeira para os móveis, óleos combustíveis e frutos que se tornam iguarias.
Uma história de amor antiga que ainda dá certo e esperamos não perdê-la.
Laura Reinas